• taxas de juro continuam a cair

    A taxa de juro implícita no conjunto dos contractos de crédito à habitação em vigor diminuiu 0,020 pontos percentuais (p.p.) em Fevereiro face ao mês anterior, fixando-se em 2,687%. De acordo com dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), esta descida reflecte «a descida das taxas Euribor observada nos últimos meses». A taxa de juro verificada em Fevereiro é no entanto ainda superior, em 0,877 p.p., ao valor de Junho de 2010, momento em que se verificou a taxa mais baixa da série (1,810%). Apesar da descida na taxa implícita no conjunto de todos os contractos em vigor, nota-se um aumento de 0,181 p.p. na taxa dos contractos celebrados nos últimos 3 meses, para 4,439%. Para estes contractos, o aumento acumulado desde maio de 2010 (mês em que se registou a taxa mínima da série) foi 2,441 p.p.. O valor médio do capital em dívida dos contractos de crédito à […]

     
  • Avaliação de casas: os bancos é que ganham

    Quando se compra uma casa, com o recurso a um crédito habitação, é obrigatória a avaliação do imóvel. O problema é que os bancos não deixam que seja o consumidor a escolher quem a entidade que querem que avalie a casa, os bancos impõem as empresas que querem. A Deco, contudo refere que esse direito de escolha deve ser respeitado. «O consumidor paga a avaliação, mas não pode escolher a empresa, ficando sujeito à escolha do banco. Se o crédito não for aprovado e recorrer a outra instituição, será obrigado a pagar nova avaliação», denuncia a DECO, que defende ainda a criação de uma base de dados de peritos certificados, capazes de fazer uma avaliação reconhecida a qualquer imóvel. Para a DECO, isto podia ser garantido com a supervisão do Banco de Portugal ou da Comissão do Mercado de Valores Imobiliários (CMVM). Os consumidores só teriam de escolher uma empresa […]

     
  • Habitação com juros recorde em Portugal

    Muitas são as tentativas de adivinhar o que a União Europeia (UE) e Fundo Monetário Internacional (FMI) reservam para o famigerado plano de resgate financeiro, mas não existem quaisquer informações oficiais relativamente às medidas que este contém. No entanto, é quase certo que a “fórmula” atinja em larga escala o ramo da habitação, em concreto da compra de casa própria, tal como aconteceu na Grécia, Irlanda e várias das nações em que aquela entidade interveio nos últimos cinco anos. Está assim anunciada a continuidade da crise, não apenas geral, mas sobretudo num sector da economia que tem recuado desde 2008 em Portugal e deverá agora conhecer um considerável agravamento com as medidas de austeridade que se avizinham. Desta forma, a imparável subida das taxas de juro no crédito à habitação, que já se verifica há nove meses consecutivos, não tem fim à vista e deterá um peso ainda maior tendo […]

     
  • Juros nos créditos à habitação atingem máximos de 18 meses

    Os juros estabelecidos nos novos empréstimos à habitação concedidos às famílias voltaram a aumentar em Outubro, na área do euro, para máximos de ano e meio, indicou hoje o Banco de Portugal (BdP). De acordo com o Boletim Estatístico, a TAEG cobrada pelos bancos nos novos empréstimos à habitação em Outubro nos países da Zona Euro subiu para 3,79%. Esta taxa regista assim o seu máximo em 18 meses, desde que atingiu os 3,88% em Março de 2009, subindo consecutivamente desde Janeiro deste ano. O mesmo só pode encontrar nos restantes dados relativos aos juros para os novos créditos à habitação. No total, os juros atingiram em Outubro os 2,73%, sempre a aumentar desde Janeiro deste ano, quando registava 2,17%. Dentro deste total, os empréstimos com prazo de fixação inicial de taxa até um ano também subiu para os 2,69% em Outubro, também a aumentar consecutivamente desde Janeiro, quando registava […]

     
  • Crédito à habitação atinge máximo do ano

    Quem possui actualmente algum tipo de financiamento bancário sobre a sua casa verá o seu rendimento mensal reduzido ainda mais. Depois de cortes nos salários, aumento dos impostos e do custo de vida em geral, os juros cobrados no crédito à habitação bateram novo recorde, tendo atingido o valor mais elevado dos últimos 12 meses. As taxas indexadas ao financiamento de habitação própria atingiram 1.944 por cento no mês passado, revela o Instituto Nacional de Estatística (INE), confirmando-se a subida daquelas há 120 dias consecutivos um dos mais permanentes agravamentos na corrente década em Portugal, numa altura em que os resultados de outros países têm vindo a recuperar, à excepção das economias em queda, nas quais se inclui a nacional. Na sequência do incremento de 0.049 pontos em Setembro, o avanço do mês 10 do ano foi superior em 0.006 pontos, actualizando-se em mais 0.055 por cento. Em termos práticos, […]

     
 
 
 

Comentários recentes