• Entrega da casa não chega para pagar a dívida do crédito habitação

    Tanto o PSD como o CDS-PP anunciaram este domingo uma nova proposta para ajudar as famílias que estão em dificuldades com os empréstimos da casa que não conseguem pagar. No entanto, esta proposta representa um passo atrás face à proposta inicial. A diferença é notória, por exemplo, ao nível do regime de dação ou entrega da casa para pagamento da dívida, que neste momento – e ao contrário do que estava dito na primeira proposta – deixa de garantir o pagamento integral do empréstimo, escreve o jornal «Público» esta segunda-feira. Assim sendo, os bancos passam a ter de aceitar a dação em cumprimento – algo até aqui facultativo – e a dívida apenas se extingue pelo valor da avaliação actual do imóvel. A novidade é que a avaliação passa a ser feita por um avaliador independente, alistado na CMVM, e agora o remanescente pode ser pago através de um empréstimo […]

     
  • Casas à venda por 1 cêntimo

    Pode parecer brincadeira, mas não é. Há mesmo casas à venda por um preço-base de 1 cêntimo. As Finanças têm colocado vários imóveis e terrenos no mercado com a licitação mínima definida pela Direcção-Geral dos Impostos, segundo constatou o jornal «Sol». Tudo por causa da pressão para angariar receitas e porque a crise está a afugentar os compradores das hastas públicas. As Finanças têm optado assim por vender casas penhoradas através da negociação directa, com preços-base muito simbólicos. Os bens são depois vendidos por preços mais altos. À espera das melhores propostas, o negócio acaba no entanto por ficar muito abaixo dos preços praticados no mercado, dado o valor da licitação. O bastonário da Ordem dos Técnicos Oficiais de Contas (OTOC), Domingues de Azevedo, explicou ao mesmo jornal que as vendas deste tipo resultam de «hastas públicas que ficaram desertas». O mesmo é dizer que foram negócios que não interessaram […]

     
  • Desvantagens de comprar casa

    O presente estado débil da economia complicou o orçamento de muitas pessoas, que se vêm cada vez mais sufocadas por apertos económicos difíceis de ultrapassar. Os salários mantêm-se na maioria dos casos, mas tudo o resto aumenta, numa desproporcional variação entre o que se ganha e se paga pelos produtos e serviços. A diferença é tão grande, que levou o nível de endividamento do país tem atingido valores recordes, que são de realçar pela negativa. Embora a instabilidade permaneça no mercado, não só financeiro (bolsa), mas sobretudo na economia real (famílias e empresas), há determinadas despesas que não podem ser pura e simplesmente eliminadas, mas é exequível torná-las mais contidas. Dentro destas, incluem-se os custos com a habitação, algo que não é possível “riscar” do orçamento, o que se pode fazer é reduzir o custo deste gasto elementar, nomeadamente através do aluguer de uma casa, em detrimento da sua aquisição. […]

     
  • Escolha de casa

    Decida previamente, antes de iniciar o processo de escolha de casa, quais as suas necessidades, preferências e disponibilidade financeira. Tal permitirá rentabilizar o seu tempo e investimento. É importante ponderar bem a localização da sua nova casa. Para além disso, tenha sempre em conta o valor actual da casa, o seu valor no futuro e as suas possibilidades económicas actuais. Procure sempre a melhor casa, com o maior número de divisões possível. Caso necessite e deseje, informe-se numa agência imobiliária com experiência comprovada. Não só o custo inicial da casa é importante. É necessário avaliar a idade do imóvel e possíveis obras que venha a necessitar. Se tiver dúvidas procure apoio técnico.

     
 
 
 

Comentários recentes