• Preço das casas sobre em Portugal

    O preço das casas europeias caiu no ano passado 2,8%, segundo o barómetro do Financial Times. Mas a descida foi mais acentuada nos países da Zona Euro, com excepção de alguns países, como Portugal. Esta foi a primeira vez, desde que o indicador (anual) foi criado em 2000 pelo Financial Times, que o preço das habitações na Europa caiu, embora com sinais de melhoria no quarto trimestre do ano passado, segundo a edição de hoje do jornal económico. Nos 16 países que utilizam o euro o preço das casas caiu em média 4,6% em 2009 face ao ano anterior, enquanto nos 23 países da Europa a redução de preço foi na ordem dos 2,8%. Em alguns países, como Inglaterra, Espanha ou França, o preço das casas era, no ano passado, 7% mais baixo que os valores de 2008. Até na Alemanha, onde o mercado imobiliário é estável por tradição, se […]

     
  • Prestação média da casa diminui desde o início do ano

    A taxa de juro implícita no conjunto dos contratos de crédito à habitação voltou a cair em Agosto, fixando-se o valor médio nos 2,547%, o que representa um novo mínimo histórico, revelou hoje o Instituto Nacional de Estatística. A descida das taxas ligadas ao crédito à habitação ditaram uma redução de 101 euros no valor médio da prestação desde o início do ano, diz o INE. “Em Agosto de 2009, a taxa de juro implícita no conjunto dos contratos de crédito à habitação situou-se em 2,547%, menos 0,223 pontos percentuais que no mês anterior e menos3,430 pp desde o início do ano”, revela hoje o INE em comunicado. A diminuição dos custos suportados com os juros observou-se em todas as categorias de financiamento para a casa, ou seja, nos contratos relativos à aquisição de terreno para construção de habitação, nos contratos para construção de habitação e ainda na aquisição de […]

     
  • RE/Max Collection

    A Re/Max apresentou na semana passada em Portugal uma nova marca destinada à comercialização de imóveis de luxo, a Re/Max Collection. O objectivo desta nova marca é a comercialização de imóveis de luxo, destinados a clientes também eles especiais. Actualmente, o segmento de luxo representa cerca de 2% do volume de transacções da rede Re/Max valendo, no entanto, cerca de 16% do volume de negócios transaccionados pela Re/ Max. Em 2008, a Re/Max apresentou um volume de negócios de 1,2 milhões de euros, tendo comercializado 22 mil imóveis. Foram transaccionados 367 imóveis de luxo, no valor de 192 milhões de euros. O objectivo da Re/Max é, até 2011, elevar para 20% a participação deste segmento no volume total de negócios da empresa e aumentar para 5% a sua participação em termos de número total de transacções realizadas, acompanhando o crescimento do segmento. De acordo com dados do International Realty Group […]

     
  • Prestações dos créditos habitação descem

    As taxas Euribor apresentam-se mais uma vez em mínimos históricos. Com a evolução da quedas das taxas Euribor, que têm vindo a acontecer de forma sistemática nos últimos meses, vão provocar novas descidas nas prestações do crédito habitação. A média mensal da taxa Euribor a três meses fixou-se nos 0-860%, o valor mais baixo de sempre negociado por esta taxa. A este valor, um empréstimo de 100 mil Euros a 30 anos e com um spread de 0,7% corrsponde uma prestação de 348€, menos 18,47 Euros do que o valor actual. Mas as boas notícias não são apenas para as famílias com empréstimos indexados à Euribor a três meses que beneficiam dos juros historicamente baixos. As taxas em todos os prazos estão a cair para níveis nunca vistos. As famílias que têm empréstimos indexados à taxa a seis meses, que por sinal é o mais utilizado em Portugal, vão também […]

     
  • Arrendamento é opção para quem não consegue crédito

    O arrendamento vai continuar a ser uma aposta ganha para as mediadoras. A crise financeira e a restrição ao crédito por parte das instituições financeiras estão a levar cada vez mais portugueses a recorrer a esta solução, como admitem as imobiliárias em declarações à Agência Financeira. A verdade é que o arrendamento já pesa 50% do mercado total. «Aqueles que não conseguem obter crédito mas que precisam de casa terão de optar pelo arrandamento. Os proprietários que necessitem de mudar de casa, mas que estejam com dificuldades em vender o seu imóvel actual podem optar pela permuta ou pelo aluguer do seu imóvel recorrendo eles mesmo ao arrendamento de outro imóvel mais ajustado às suas necessidades», afirma o director-geral da Remax, Manuel Alvarez. Por isso mesmo, os preços poderão vir mesmo a subir ainda este ano. A procura e a zona são dois factores-chave que ditam os valores dos imóveis […]

     
 
 
 

Comentários recentes